Salário mínimo de R$400,00 com a PEC? Não. De R$4.000,00.

Tem sido divulgada na internet uma análise da FGV sugerindo que o salário mínimo seria de R$400 se a PEC 241 tivesse sido aprovada em 1998. A análise está completamente equivocada, pois pressupõe que nada, além dos gastos do governo, teria mudado na economia além da PEC. A PEC existe exatamente porque gera inúmeros impactos positivos na economia. Se há 20 anos tivéssemos aprovado a PEC – que, entre outras coisas força que o ensino básico seja priorizado – uma Reforma Trabalhista que flexibilizasse o mercado de trabalho e uma Reforma Previdenciária que estendesse as regras do INSS a todos e desvinculasse o salário mínimo dos benefícios previdenciários, além de combater corrupção, hoje o salário mínimo seria de R$4.000,00, a renda per capita seria mais do que o dobro da atual e milhões de brasileiros não estariam desempregados porque os trabalhadores seriam mais qualificados e a dívida pública e a taxa de juros seriam uma fração do que são. Como o PIB seria mais do que o dobro do atual, os gastos com saúde e educação seriam maiores do que são hoje, mesmo se caíssem como porcentagem do PIB, o que sequer aconteceria se o governo melhorasse a qualidade do gasto público e priorizasse saúde e educação. Em resumo, a imensa maioria dos brasileiros – com exceção dos poucos que se beneficiam do atual sistema injusto e deturpado – estariam muito melhor de vida.
Ricardo Amorim

Sobre Blog dos Bancários

Bancário
Esse post foi publicado em Noticias. Bookmark o link permanente.