O BB e a cruzada contra as folgas

Abaixo a cláusula que o BB pretende negociar para inclusão no Acordo Coletivo.
Estranho o empenho do Banco em economizar com as conversões em espécie do saldo de folgas.
Difícil imaginar o impacto delas em um Banco daquele tamanho.
Realmente, muito estranho. A coisa está tão feia assim?

CLÁUSULA TRIGÉSIMA NONA – FOLGAS

A utilização e a conversão em espécie de folgas obtidas pelos funcionários serão regidas pelas presentes disposições.

Parágrafo primeiro – O saldo de folgas verificado em 31.08.2014 deverá ser zerado, na fração de 80% até 31.12.2014 e de 20% até 31.03.2015, a partir da data de divulgação da medida pelo BANCO, nos termos abaixo;

I – a faculdade de venda das folgas será na proporção de uma conversão em espécie para cada utilização em descanso, considerando as utilizações ocorridas a partir de 1.09.2014;

II – na hipótese de saldo com número ímpar de folgas o número de folgas para uso em descanso será arredondado para cima.

Parágrafo segundo – As folgas adquiridas as partir de 01.09.2014 serão regidas nos termos abaixo;

I – fica mantida a faculdade de venda de folgas na proporção de uma conversão em espécie para cada utilização em descanso, observando que;

a) As folgas adquiridas deverão ser utilizadas na semana imediatamente posterior à da aquisição, observando, se for o caso, o inciso II abaixo;

b) Na hipótese de aquisição de ímpar de folgas, o número de folgas para uso em descanso será arredondado para cima.

II – o funcionário que acumular número de folgas superior a 10 dias, ficar automaticamente impedido de trabalhar em dia não útil até a baixa do saldo individual para número igual ou inferior a 10 dias, observando, se for o caso, o inciso III;

III – para aquelas unidades do BANCO que, em decorrência das atividades desenvolvidas, funcionam no regime de 24×7 (vinte e quatro horas, sete dias por semana), o limite previsto no inciso II será de 30 folgas, por funcionário, Neste caso:

a) O funcionário que acumular número de folgas superior a 30, ficara automaticamente impedido de trabalhar em dia não útil até a baixa do saldo individual para número igual ou inferior a 30 dias;

b) As folgas adquiridas deverão ser utilizadas nas 2 semanas imediatamente posteriores a da aquisição.

Parágrafo Terceiro – Sem prejuízo das disposições contidas no parágrafo anterior, o BANCO pode facultar a seus funcionários a conversão em espécie de folgas adquiridas e não utilizadas, a qualquer tempo.

Parágrafo Quarto – As folgas concedidas pela justiça Eleitoral deverão ser utilizadas em descanso, na sua totalidade.

Anúncios

Sobre Blog dos Bancários

Bancário
Esse post foi publicado em Noticias. Bookmark o link permanente.