Imóvel na Caixa = terceirização e fraudes milionárias!

Postado por SainaFrente em 20 ago, 2014 em Destaque Pequeno, Destaque Principal, Geral, Notícias | 0 comentários
A Polícia Federal realizou a chamada “Operação Cartago”, cujo objetivo era desarticular fraudes no financiamento de imóveis da Caixa Econômica Federal no Maranhão. Na referida operação, as fraudes encontradas nas agências do banco totalizaram movimentações superiores a R$ 500 milhões!
Cumprindos 44 mandados judiciais, sendo 19 de busca e apreensão, 18 de condução coercitiva e 7 de comunicações de suspensão da função pública, a PF constatou o que qualquer bancário que trabalha em agências já sabe: a grande maracutaia que representa a terceirização dos serviços da Caixa, em especial através dos bilionários contratos de financiamento habitacional.
A investigação apurou que empregados da Caixa criaram empresas fictícias em nome de parentes. Essas empresas passaram a ser contratadas pelo banco para prestar serviços como correspondentes bancários imobiliários. Embora fossem realizados diretamente pelos clientes, os contratos mencionavam as empresas como intermediárias. Essa situação rendia o pagamento indevido de comissões. Escritórios de atendimento foram montados no interior das agências bancárias, utilizando espaço físico, mesas, cadeiras e até computadores da Caixa. Os empregados dessas empresas chegaram a ter acesso às senhas restritas aos empregados do banco.
Os suspeitos de envolvimento podem responder pelos crimes de gestão fraudulenta, estelionato, peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, advocacia administrativa, violação de sigilo funcional, inserção de dados falsos e sonegação.

Lula e Dilma são os responsáveis pela maior fraude!

Lula intensificou de maneira massiva a privatização interna dos serviços prestados pela Caixa, multiplicando correspondentes lotéricos, bancários e imobiliários. O que já existia desde FHC, ganhou uma dimensão centenas de vezes maior nas administrações do PT. Mas foi Dilma quem deu o golpe final na concessão pública dos financiamentos habitacionais e no modelo neoliberal e privatista de habitação.
100% dos contratos aprovados pela Caixa, desde o governo da atual presidente, passaram a ser realizados por meio de empresários, chamados de correspondentes imobiliários, que ganham fortunas ao juntar meia dúzia de documentos, que seguem sendo analisados na jornada de trabalho de funcionários concursados, nas dependências da Caixa e por meio dos sistemas e cadastros do banco público. O correspondente, assim, não passa de um espertalhão, normalmente amigo, compadre ou mesmo parente de gerentes e de gente graúda da Caixa, que ganha rios de dinheiro, sem fazer praticamente nada! Quando estes “correspondentes” não são ex-gerentes, que sempre ganham mais sendo atravessadores do que como gerentes.
Há correspondentes que ganham apenas de uma agência da Caixa por mês, fora o que ganham dos clientes diretamente, mais de 100 mil reais!!! O tal empresário ganha dinheiro pelo contrato habitacional (1%, que num contrato de um imóvel de R$ 200.000, são R$ 2 mil livre), pela abertura da conta do cliente, por seu cheque especial, pelo cartão de crédito… É uma negócio da China! O poder destes empresários é tão grande (pelo movimento de negócios que se gera em torno deles, pelos “produtos” empurrados aos clientes que deles ficam reféns, como seguros, títulos de capitalização etc.), que, muitas vezes, estes indivíduos mandam mais que os gerentes gerais das agências, determinando período de férias de funcionários, exigindo implementação de horas-extras e outros absurdos!
Esta situação bizarra e escandalosa, ainda que derive, em muito, da atual administração da Caixa, que tenta crescer a todo custo, mesmo que por meio de concessões de crédito temerárias, com aumento da inadimplência; assédio moral aos funcionários; e expansão da privatização/terceirização interna; é, no fundo, decorrência de uma política de governo!
O governo Dilma, que privatizou a maior quantidade de estradas, portos, ferrovias e rodovias da História do Brasil, também é responsável por privatizar Hospitais Universitários, renovar a privatização de companhias de energia e por entregar a maior quantidade de petróleo de todos os tempos, ao praticamente doar o Campo de Libra! A transformação da Caixa em um balcão de negócios de empresários amigos quanto ao financiamento habitacional é só mais uma “privataria” petista e de Dilma!
Os trabalhadores precisam exigir o fim de toda a terceirização existente na Caixa. Não é possível querer “limpar” a concessão habitacional da corrupção, do nepotismo e dos jogos de interesse sem acabar com a própria figura do empresário – correspondente imobiliário. Sua existência é intrínseca à lógica de se ganhar dinheiro privadamente por meio da marca, da confiança, dos funcionários e da tecnologia da Caixa como banco público!
É urgente chamar mais milhares de funcionários concursados – que já estão aprovados e esperam a oportunidade de começar a trabalhar – e encampar toda a concessão habitacional de volta ao controle público, por meio da Caixa. Esta reapropriação do processo é o que pode garantir juros mais baixos, agilização dos processos e o fim de fraudes e alterações cadastrais promovidas pelos empresários, bem como extinguir as “comissões” e caixinha que gerentes e atravessadores levam hoje em dia.
Defendemos o fim de todos os correspondentes imobiliários, bancários e lotéricos. Todo o serviço bancários deve ocorrer em ambientes seguros, protegidos, através de bancários, com jornada máxima de 25h semanais, piso salarial do Dieese, direitos trabalhistas ampliados e garantidos, e sem metas e assédio moral!
MATÉRIA RETIRADA DO SITE DO MOVIMENTO REVOLUCIONÁRIO SOCIALISTA
LINK: http://mrsocialista.org/index.php/noticia/454

Anúncios

Sobre Blog dos Bancários

Bancário
Esse post foi publicado em Noticias. Bookmark o link permanente.