Depois de 9 trimestres, Banco Votorantim volta ao azul

O ESTADO DE S. PAULO – SP | ECONOMIA E NEGÓCIOS

Instituição consegue reduzir inadimplência de sua carteira de crédito de automóveis e registra lucro de R$ 121 milhões
Depois de nove trimestres consecutivos de prejuízos, causados pela inadimplência que atingiu em cheio o financiamento de automóveis, alinha do lucro líquido do balanço do Banco Votorantim finalmente saiu do vermelho. O quarto trimestre de 2013 marcou a virada e o Banco registrou um número em azul de R$ 121 milhões.

A boa notícia chegou com um certo atraso pois o Banco do Brasil, que detém 50% da instituição, esperava que o ponto de inflexão chegasse já no segundo trimestre de 2013. Não aconteceu,mas,para 2014,a expectativa é de que os lucros trimestrais se mantenham, revertendo o prejuízo do balanço de 2013 que ficou em US$ 500 milhões.

Com isso, o Banco deixa de vez para trás o prejuízo de R$ 2 bilhões registrado em 2012.

A reversão do quadro está apoiada na queda da inadimplência da carteira de veículos, que chegou a 6,6% em dezembro de 2012 e fechou 2013 em 5,1%. A carteira de inadimplentes, segundo explica o presidente do Banco, João Teixeira, foi gerada nos anos de 2010 e 2011 e tinha prazo médio de 52 meses. Por isso, os reflexos dos calotes ainda são sentidos.

Hoje, no entanto, essa carteira representa 26% do total dos empréstimos. Esse porcentual deverá cair para cerca de 16% em 2014. Desta forma, reduziu em 24% as despesas com provisão para devedores duvidosos, algo em torno de R$ 1,1 bilhão.

No ano passado, a carteirato-tal de crédito caiu quase 5% e apenas a de veículos ficou estável. Dentro da nova política do Banco, o financiamento de automóveis está agora focado em veículos usados, para fugir da concorrência dos bancos de montadoras, que financiam carros novos.

Além da carteira de veículos, com R$ 30 bilhões, o Banco também tem carteira semelhante na área de crédito agrandes empresas. A instituição não vai mais emprestar para empresas que não tenham faturamento superior a R$ 200 milhões.

Os números do Votorantim também melhoraram no ano passado em função de uma cessão de carteira de crédito de R$ 1,8 bilhão para o BB. Mas a cessão foi feita coobrigação, o que significa que o Votorantim ainda corre o risco da carteira. Por outro lado, a operação reduz o custo de captação. Do total do funding do Banco de R$ 75,6 bilhões, 17% são originados em cessão de crédito. /j.g.

Menos risco

O Banco Votorantim não vai mais conceder empréstimos a empresas que não tenham faturamento superior a R$ 200 milhões; o financiamento de automóveis está focado em veículos usados

Anúncios

Sobre Blog dos Bancários

Bancário
Esse post foi publicado em Noticias. Bookmark o link permanente.